Cinema, Destination Image and Place Branding Cinema, Destination Image & Place Branding - Page 117

ANÁLISE EXPLORATÓRIA À LANGUAGE OF TOURISM (LOT) DOS FILMES DO FESTIVAL ART&TUR 2014 (1986) focando-nos nos agentes claramente induzidos I e II e disfarçadamente induzidos I e II de indução da TDI. De seguida, consideramos o modelo de Beerli e Martín (2004) quanto às nove dimensões de atributos para a avaliação da TDI e incluímos ainda, a importância de avaliar o atributo “gastronomia local e vinhos locais” defendidos por Baloglu e Mangaloglu (2001) e Konecnik (2005). Consideramos que a linguagem cinematográfica e a interligação entre o turismo, espaço e media, cria expectativas turísticas (Edensor, 2001; Pocock, 1992; Urry, 1990) e forma os imaginários. E que por essa razão os filmes motivam o turista a reconstruir-se no lugar, não só emocionalmente, mas também fisicamente, trans- portando-o para o espaço “real” do filme (Pretes, 1995). E que, o filme turístico é a raiz primária da co nstrução da TDI e identidade do lugar (Jewell & McKinnon,2008), e a linguagem cinematográfica atua como guia para o público moldar o seu imaginário. A fórmula, para que os elementos imaginários se tornem reais está na forma como os filmes são produzidos, na linguagem transmitida e na forma como as imagens são vistas. Para a análise do Plano icónico consideramos a teoria da semiótica em contexto turístico, defendida por Echtner (1999), com os elementos de semiótica - denotação e conotação - e o recurso à retórica para a sua interpretação. Consi - deramos igualmente a teoria da LOT de Dann (1996), desenvolvida principalmente com base em estudos empíricos sobre o turismo, e que por isso justifica a sua confiabilidade, em que se usam elementos verbais e visuais e se recorre à retórica para a sua interpretação com três perspetivas da linguagem: Authenticity, Strangerhood e Conflit. Por último, adicionamos à nossa análise o estudo de Soler e Corney (2010) que construíram tabelas para análise semiótica da publicidade de Espanha e de Portugal e o estudo de Connell (2012) que introduziu a inter- pretação do logotipo/slogan. Na construção da tabela de análise do plano das estratégias retóricas visuais dos filmes consideramos os modelos das três perspetivas da linguagem de Dann (1996), a teoria de Echtner (1999), na análise da pictórica das imagens usadas, e tivemos em consideração o cliché visual usado por Cohen (1989) e o estudo de Soler e Corney (2010). Para a construção da tabela de análise do plano das estratégias de linguagem dos filmes e das técnicas de cinematografia usamos as três perspetivas da linguagem: Authenticity, Strangerhood e Conflit de Dann (1996) e a teoria de Echt- ner (1999) para a retórica de interpretação. Utilizamos o modelo de Connell (2012) para a linguagem cinematográfica: focus, iluminação, efeitos especiais e sonoros, e o modelo de Mamer (2009) para as técnicas de produção de tamanho dos shot. return to the content page 117